REDES SOCIAIS

Telefone faz 145 anos desde a sua primeira 'ligação'

10 de março de 2021 ás 15:16

Talvez você não saiba, mas existe uma história cheia de confusão sobre o verdadeiro inventor deste aparelho que revolucionou a humanidade. Graham Bell levou a fama e o dinheiro. Meucci, o reconhecimento tardio da invenção. A história que começou há 145 anos, quando foi feita a primeira comunicação oficial, por Alexander Graham Bell, em 10 de março de 1876. O escocês era considerado o inventor do telefone até uma reviravolta em 2002, quando se reconheceu oficialmente o italiano Antonio Meucci como o verdadeiro pai da ferramenta. 


Em 2021, o tom de discagem continua ativo, com direito à nostalgia dos tempos das centrais telefônicas e orelhões e com a facilidade dos sinais digitais que fazem de tudo - até mesmo uma ligação.


Museu do telefone: passado e presente


O Museu do Telefone foi inaugurado em 28 de outubro de 1976, no ano do centenário do telefone, sendo o primeiro do tipo no Brasil. Estava sob responsabilidade da empresa Telefônica, mas foi comprado em agosto de 2019 pelo município de Bragança Paulista. O local exibe réplicas dos primeiros aparelhos apresentados por Graham Bell. Há transmissores, receptores, monofones, magnetos, discos, fax, telex feitos de madeira, ferro, baquelite, plástico e abs. Em 2009, a TV Cultura produziu um vídeo promocional sobre o museu, que mistura passado e presente em uma chamada telefônica entre um bragantino e uma telefonista da época. 


“Me manda um telex”


Era 1972 e o Sistema Telebras tinha acabado de ser criado pela Lei nº 5.792, com previsão de ser gerido por uma operadora nacional e internacional: a Embratel. A partir da década de 1960, houve uma nova legislação para as comunicações, e os serviços de telecomunicações passaram a ser geridos e ofertados à população por várias empresas públicas dentro do Sistema Telebras, operado nacionalmente pela Embratel. Na década de 1990, o sistema fez parte do processo de privatizações de diversos setores, mas em 2010 a Telebras foi recriada como uma empresa federal estatal e está vinculada ao Ministério das Comunicações, sendo responsável por implementar as políticas públicas de telecomunicações do Brasil. 


Apesar de toda evolução na forma como nos comunicamos, o telefone ainda é uma das principais ferramentas que facilitam o contato entre empresa, fornecedores e clientes. Porém, os modelos mais tradicionais estão em desuso e com o aumento da diversidade de tecnologias, o segmento de telefonia ganha alternativas como a cloud computing. De acordo com pesquisas realizadas recente, 96% dos empresários brasileiros declaram que trocariam a telefonia convencional pela telefonia em nuvem, por conta das vantagens apresentadas no sistema.


Os benefícios como redução de custos, qualidade nas chamadas, mobilidade, sala de conferências e não demandar manutenção, sem dúvidas, são a principal motivação para que tantos gestores considerem essa troca. Em alguns casos, a economia pode variar de 20 a 80%, dependendo do porte. Além da solução de telefonia em nuvem ser capaz de entregar outras ferramentas como URA (pré - atendimento), ramal virtual, suporte para reuniões, correio de voz e os outros recursos dos modelos digitais e analógicos.


Um dos principais obstáculos para a implementação da telefonia em nuvem no ambiente corporativo é o desconhecimento dos gestores, que acreditam que o uso de novas tecnologias irá complicar ou até trabalhar a rotina da empresa. Porém o que acontece é o inverso, a telefonia em nuvem permite que os colaboradores façam e recebam ligações nos mais diversos dispositivos com excelente qualidade, dispensa a instalação de equipamentos adicionais, a possibilidade de expansão de ramais é rápida e, graças ao baixo custo, atende todo tipo de empresa, independente do seu tamanho ou segmento.


Segundo estudos feitos pelo The Boston Consulting Group (BCG), as pequenas e médias empresas que adotam infraestruturas em nuvem ganham competitividade em comparação às demais. No Brasil, por exemplo, a receita anual das organizações que optam por implementar soluções em nuvem teve um crescimento médio de 16%.